(11) 9.5313-4086 [email protected]

O bullying na escola: agressão realizada pelos colegas, professores ou por qualquer pessoa que esteja inserida no ambiente escolar. Esta agressão pode ser verbal através de apelidos e xingamentos ou mesmo física. A vítima é sempre alguém com alguma característica diferente e que não pode se defender; enquanto  o bully, “agressor” ou agressores, em geral, são valentões que não querem ser intimidados e por isso fazem a agressão, antes que sejam agredidos.

O sofrimento é silencioso, pois a vítima de bullying não costuma denunciar, nem mesmo comenta em casa sobre o que sofre, apenas isola-se, enquanto isso  a violência pode se tornar cada vez maior e mais frequente.

Quem pode ajudar

Os agentes sociais; pais, professores, adultos do círculo de amizade da vítima. Alguns pais não estão preparados para lidar com a situação, que ao invés de dar apoio incitam ainda mais a violência, incentivando a “bater para não apanhar.”

A violência só gera mais violência, pois afinal de contas o bully, “valentão” da escola já pratica a violência porque não quer se tornar a vítima.

O problema é que a vítima do bullying, que é escolhida pelo agressor, geralmente não se defende ou não pode se defender. Motivos para alguém ser escolhido como vítima de bullying não faltam, basta um nariz ou uma orelha maior, ser mais gordinho, não participar das aulas de educação física, ser tímido, ou ter qualquer característica que o difere dos demais.

Não somente os pais, mas a escola também tem participação para evitar a violência, porém nem sempre os profissionais de educação estão atentos e treinados para saberem como agir .

Tipos de bullying

  • Bullying físico – Geralmente acontece entre os meninos, a agressão costuma ser com pontapés, chutes e  socos. Algumas vezes na violência física a vítima é forçada a fazer alguma atividade vexatória ou impedida de ir a locais, como por exemplo o ginásio da escola;
  • Bullying psicológico – Mais praticado entre as meninas, que colocam apelidos, isolam a vítima e a impedem de participar de certas atividades escolares;
  • Cyberbullying – O bullying é praticado nas redes sociais, o constrangimento pode causar sérios danos à vítima e um processo jurídico ao agressor, que poderá responder pelo crime.

As primeiras agressões parecem não passar de uma brincadeira, mas elas se tornam repetitivas e às vezes o grupo de agressores aumenta. As ofensas são cada vez maiores e mais humilhantes.

As mudanças de comportamento devem ser observadas pelos pais e educadores, a fim de perceberem a violência logo no início para agirem de forma adequada e não  aumentarem ainda mais a violência.

Conversar com seu filho e estar aberto a ouvi-lo é o primeiro passo. Demonstrar que se importa com suas experiências, dar atenção quando  lhe traz um problema, transmitir segurança. Tratar seus filhos com respeito é essencial para que ele aprenda a se respeitar e se sinta seguro para pedir ajuda, caso esteja passando por essa situação.

Fotografia:unsplash-logoGades Photography