(11) 9.5313-4086 [email protected]

O assédio moral pode acontecer em relacionamentos ou em ambiente de trabalho, muitas vezes ele é confundido com brincadeiras sem graça.

Todos os tipos de assédio podem causar grandes danos a autoestima de uma pessoa, causando doenças como depressão e outros transtornos psiquiátricos.

No Trabalho, o assédio moral pode ser também intelectual, quando o gestor obriga o funcionário a fazer funções que não estão de acordo com o seu perfil e experiência profissional, quando pune com palavras grosseiras, gritos e ofensas pessoais ou descredibiliza o colaborador frente aos colegas.

Já nos relacionamentos, o assédio moral constitui abuso no uso de palavras ofensivas ou que façam o parceiro sentir-se incapaz ou inferior e é  também muito prejudicial para autoestima.

Autoestima

Ter uma boa autoestima é gostar do que você é e representa. Já a baixo autoestima é justamente o contrário, a pessoa que se vê de maneira negativa e não gosta do que é, não se gosta.

Sua aparência física, seus conhecimentos adquiridos, habilidades não desenvolvidas ou desenvolvidas, e todas as informações a seu respeito produzem uma imagem sobre você. Esta imagem vista de forma positiva é autoestima.

Portanto quando alguém nos faz sentir inferior, está praticando assédio moral e prejudicando a imagem que temos de nós mesmos, dessa forma conduzindo-nos a uma baixo autoestima.

Assédio moral

O assédio moral é caracterizado por humilhações repetidas,  usando apelidos vexatórios, discriminação, piadas de mau gosto e outras atitudes direcionadas ao mesmo indivíduo de maneira a ofender, descriminalizar e principalmente rebaixar a sua condição,  seja ela de beleza, intelectual ou de conhecimento sobre qualquer assunto.

Assédio moral no ambiente de trabalho

No ambiente de trabalho, quando a brincadeira tem a intenção de humilhar uma pessoa, isto é caracterizado assédio moral, principalmente quando essas brincadeiras são repetidas por diversas vezes e praticadas pelo superior imediato.

O gestor  pratica o assédio moral quando solicita ao seu subordinado tarefas que não são de sua competência,  como missões impossíveis pela falta de experiência ou habilidade. Ou solicita tarefas de funções menos importantes, quando este subordinado já demonstrou habilidades e experiência profissional para atividades de mais relevância para o setor organizacional, conforme foi contratado para fazer.

Atribuir tais atividades com frequência e na intenção de constranger ou humilhar o funcionário é assédio moral e prejudica a autoestima.

Assédio moral no relacionamento

Relacionamentos abusivos em que um dos parceiros toma todas as decisões pelo casal, obrigando a outra pessoa a ceder , escolhe onde deve frequentar e como e onde deve trabalhar, caracteriza um relacionamento abusivo.

Muitas vezes nestes relacionamentos o parceiro controlador faz ofensas e xingamentos, fazendo com que o parceiro agredido acredite que tem pouca competência ou pouca beleza e submetendo-se às decisões do outro parceiro, acreditando que ele é inferior. O quê prejudica a autoestima.

Pessoa exposta ao assédio moral

A pessoa quando exposta ao assédio moral, passa a construir sua própria imagem de acordo com as palavras que ouviu a seu respeito, acreditando ser inferior, ou  ter menos valor que as demais pessoas. Desta forma então, a baixo autoestima pode causar depressão e outros transtornos, como já falamos na introdução deste texto.

Mas é possível sair dessa situação, praticando o autoconhecimento e conhecimento, assim desenvolvendo habilidades como a empatia, a flexibilidade e a automotivação, técnicas de comunicação que servirão como escudo as ameaças e de intimidação ao ameaçador, desta forma é possível enfrentar o assédio de maneira inteligente e restabelecer a sua auto-estima.

Fotografia: unsplash-logoSydney Sims